20070216

de tudo e de nada

então de repente jã não sei bem se sabes o que eu sei que sempre soubeste mas que nunca disseste porque eu também não perguntei, e ficamos todos confusos porque se "x" é correcto se calhar "y" é mais lógico, por isso vamos ignorar e passear mais um pouco pelas ruas a ver se encontramos o caminho, que nunca realmente encontramos, ah e tal este é mais um beco, mas ninguém sabe e nós também sabemos muito bem enfiar a cabeça debaixo da terra, só porque é giro e já aprendemos a fazê-lo tão bem, como aprendemos muitas coisas (lembras-te?) mas acabamos sempre por cometer erros estúpidos, que se calhar nem são tão estúpidos porque até sabemos que os estamos a fazer na altura, mas fazemos na mesma porque há coisas que têm que ser feitas, como da outra vez que falámos de tudo e de nada mas onde as palavras fluiam como se só de uma frase inacabável se tratasse.

Depois surge um ponto final e não sabemos bem o que fazer a seguir.

1 comentário:

COCOnaVENTOINHA disse...

por momentos parecia uma carta da menina guidinha