20071108

Mini Neurónio

Irrita-me.
Irrita-me porque esta gente para chegar onde está hoje devia ter atenção a todos os detalhes.
E depois aparecem estas coisas:

Senhores: queriam fazer um concurso com piada, fizeram. Parabéns.
Agora vá.
Ide aprender a escrever, e tentai não beber muitas minis antes.

8 comentários:

ZEP disse...

gawd!
isso é um erro tão comum que qualquer dia fazem um acordo com a populaça e passa a ser norma

O Outro disse...

E dai a pouco xtamux a falarrrr com o sôtaki brazilêro, cára.

Acho que houve aí algum génio do Marketing e Publicidade que um dia acordou e decidiu que os anúncios dedicados à malta jovem tinham de ter, no mínimo um erro ortográfico para que o pessoal não se sentisse excluído.
Não houve uma campanha de um banco português cuja «catchphrase» continha linguagem de «XMX».
Afinal, ortrografia é «pra» cóta, pá. Né? «lol»

gonn1000 disse...

Essa linguagem faz-me lembrar a de certos bares... you know what I mean...

iLoveMyShoes disse...

Na publicidade é tão comum encontrar erros de português... Tanto dinheiro se gasta nessas m**das... não acredito que não haja verba para pagar um revisor.

Ypslon disse...

Não me lembro de nenhum outro exemplo de erros ortográficos em publicidade...

O -te e o -mos é um martírio para a maioria dos tugas!

Morgan disse...

gonn1000: Sim, sei... Infelizmente lol.

Na publicidade não me lembro de nada, assim de repente, excepto numa newsletter que eu recebia da MusicBox em que faziam um daqueles erros de misturar o "ão" com o "am" (que resultou no meu cancelamento imediato da newsletter).

Mas clássicos exemplos de violência linguística são os rodapés dos vários telejornais... Hew.

SecretSoul disse...

É incrível como deixam passar erros desse género (e qualquer outro) cá para fora. É uma falta de profissionalismo enorme. Até para fazer a lista de compras tento não dar erros, quanto mais para um anúncio!

Mas como disse o Morgan...basta ver o jornal da TVI. É erro garantido todos os dias.

Morgana disse...

Eu simplesmente não suporto maus tratos... sejam eles de que natureza forem. É simplesmente um sacrilégio!