20101222

Si ma vie je l'invente

Vivre quand tout lâche, quand tout casse, quand tout clash
Quand tous les blues ont sali ta raison, ta maison, tes saisons
Quand tout est sombre, plus rien n’est doux
J’ai peur de tout

20101219

Can you free me?

All my life I've been the slave of consequence,
wondering how this life could be so intricate.
I wanna rewrite my heart and let the future in,
I wanna open it up and let somebody in...

Can you free me from the logic that I knew?
I believe it! Even if it is not true...

Am I falling asleep on my feet again?
I call out, is anybody listening?
And it's like I'm diving into emptiness,
But at least there's something beating in my chest...

Can you free me from the logic that I knew?
I believe it! Even if it is not true...

20101214

year's end

Esta semana foi estranha: começaram a atravessar-se no meu caminho os meus ex. Alguns ex-cenas, outros ex-namorados mesmo (hew, *a palavra n*). Uns com sorrisos abrangentes como se nada se tivesse passado (os meus favoritti, porque assim posso escolher -eu- como tratá-los - oh evil little me), outros com conversas estranhas e querer combinar cafés para mais conversas estranhas (oh, os eternos esclarecimentos... huh?).

Isto é o quê? Resoluções de fim-de-ano? Hm. No effin' clue.

20101213




From the east to the south
I tongue the roof of my mouth
To new days of doubt without you
First gear, I face the trouble ahead
Final word has been said
Long distance spread between us
I tell myself to

Hold on, won’t be long
Till I grow through this struggle
Time to wake up, find my soul

Happy without you oh


[repeat]

[repeat][repeat]

[repeat][repeat][repeat][repeat][repeat][repeat][repeat]

-r-e-p-e-a-t-

OMG, you're like, so totally immature.

Giv'em a tv set, an effertless song and a candy bar and they'll happily do tricks for you.

20101126

Love and other drugs.

Tenho uma caixinha onde guardo algum "equipamento de mergulho" ou "pastilhas valda", às vezes as duas coisas. É a minha candy box.
Hoje tinha um cartão que "alguém especial" me deu no bolso e achei que era boa ideia guardá-lo num sítio seguro. Pu-lo nessa caixinha.

Todas as minhas drogas estão agora guardadas no mesmo sítio.

20101117

Quote

"A maioria pensa com a sensibilidade, eu sinto com o pensamento." by Fernando Pessoa

20101026

la critique & l'amitié

Isto é malabarismo complicado.

Já não é a primeira vez que um amigo me pede para eu lhe dizer o que acho de um texto ou de um desenho. Alturas há em que prefiro sorrir e desconversar - porque sim, it's that bad. E apesar de preferir que me digam - a mim - a verdade a doer, eu próprio tenho por vezes dificuldade em fazê-lo. Porque não quero magoar os sentimentos alheios e/ou porque acho que não vale a pena (esta última é a pior das más atitudes, mas há um tempo para tudo, acho. Se eu fosse olhar para os meus peidos "artísticos" de há uns anos atrás seria o crítico mais ruim do mundo). Nessas alturas em que o tacto prevalece prefiro olhar para o positivo e destacá-lo ("tens uma letra muito gira...", "a atitude está lá...") do que dizer a verdade absoluta e arriscar uma atitude que pode ser considerada mais ácida ("os teus textos são cliché atrás de cliché..."; "os teus desenhos têm o nível de um puto de 13 anos em mau...").

A minha honestidade é paralela ao nível de amizade que tenho com a pessoa. Quanto mais amigo sou, mais honesto sou, mais bruto sou. Dizer que as coisas são boas só porque não queres magoar a pessoa, mais do que ficar calado, é que acho mesmo horrível e contra-producente, no mínimo...

Posso ser considerado prepotente nessas alturas. Mas faço sempre um disclaimer: hey, quem sou eu para poder avaliar seja o que for?

PS1: Gawd, os teus desenhos de ossos e caveiras fazem-me lembrar os que fazia no nono ano. E eu não era muito bom.
PS2: Vá lá, quantas vezes vais repetir a palavra "corpo"? E tens mesmo que a utilizar em *todos* os textos que escreves?
PS3: Se vais escrever um blog de críticas, faz com que isso ponha algo novo em cima da mesa... Se não é igual aos 100 000 000 que já existem no mesmo estilo.
PS4: G-r-a-m-á-t-i-c-a. Já ouviste falar?
PS5: Ena. Que bom. Fazes música exactamente igual à que fazias nos anos 90. Que evolutivo.



Pfff.... Desabafo. Feel better already.

20101015

momento "wtf does he actually listen to that" do dia.

(ou "Para fazer chorar as pedras da calçada em modo braindead"):




If he should ever come our way
Dry the tears and look somewhere above him
Might be easier to say than to do
But just pretend that you no longer love him

When your back's against the ropes
When you miss someone the most

It can only get better
Be still my heart
It can only get better
We've come this far
It can only get better

20101006

...é bom...

... quando pessoas do nosso passado reaparecem e surgem coisas que na altura não demos importância.

A acreditar que as pessoas mudam, que as pessoas crescem... Estou a gostar de redescobrir-te. E desta calma que me trazes escondida na tempestade.

20100930

Warum?



Und warum?
Nur für den Kick - für den Augenblick?
Und warum?
Nur ein Stück - von dem falschen Glück?
Und warum?
Nur für den Kick - für den Augenblick?
Und warum?
Du kommst nie mehr zurück - komm zurück ...

20100916

Nostalgia sux.

Num ataque de nostalgia tive a infeliz ideia de procurar no facebook as pessoas da minha turma da Escola Primária.
Assustei-me.

Com todas as que encontrei (lembrava-me só de dois ou três nomes... oops).

Moral da história?

Adoro a minha vida.

20100907

People won't be people won't be people.

Podes ser uma pessoa gira, divertida, social, que as pessoas olham e admiram porque consegues ser diferente, casual, cómico... mas intelectual, emocional e psicologicamente continuas a estar a milhares de anos luz de mim. E isso dispenso.

(We can still be friends though :P)

Ah, PS: I won't settle for anything less than what I'm looking for. Even if I don't know what that is. But I sure the hell know what I *don't* want.



(fuck. mania de falar o que sinto na altura sem filtro)

20100827

Don't let go...

Don't let go
Never give up
Don't let go
Never give up, it's such a wonderful life

wonderful life, wonderful life, wonderful, wonderful, wonderful life
wonderful life, wonderful life, wonderful, wonderful, wonderful life

Don't let go
Don't let go

20100823

...

Às vezes já é tarde demais. Fazemos asneira e não dá para voltar atrás.
Se fosse só comigo, os danos colaterais de atitudes irreflectidas seriam só meus, mas o problema é mesmo quando magoamos as pessoas de quem gostamos.
Magoei uma pessoa de quem gosto de alma e coração. Falhei redondamente. Fui egoísta. Errei.

Desculpa.


20100821

Vilões

Às vezes as pessoas precisam fazer das outras vilões para se conseguirem afastar delas.

Às vezes as pessoas precisam de ser vilões para que as outras pessoas se afastem delas... mesmo que seja para o bem das últimas.

20100819

F0t0gr4fi4

Parece que hoje é o mundial da f0t0gr4fi4.


@ Amsterdam durante um dos passeios do m0rg4n e da m0rg4n4

20100817

Reborn



There’s no turning back now.
The decison is made.
I’m still here, and I'm there also. Yes I AM.

I’m fighting in my own dark world, trying to survive. Just breathe me, even if you don’t see me, even if you don’t understand, even when i hurt you…

I WILL be there, where you know me.

Remember , I WILL.

Let me sleep in your heart, and wait for my rebirth.
Then, the stage will be ours.

20100813

Oops.

Tenho que aprender que, apesar de serem 4 da manhã num dia de semana, existe a possibilidade de um vizinho estar a entrar no prédio a essa hora.

Note to self: as escadas são fodidas de subir, mas mais vale do que ficar com cara de pato enquanto *nos* pedem desculpa por interromper...

20100809

Esperar

"ter esperança; aguardar com desejo e uma certa confiança de que algo se vá realizar"

a seu tempo, tudo a seu tempo... e muita paciência.

20100803

my heart may never beat again, baby




You think you are invincible
When in fact you're powerless
You're missing the principal
You'll fear the loneliness

It's just like time has stopped
It's always someone's fault
Turn back the hands of the clock
I'll turn into a pillar of salt

A tragedy brings misery
Misery loves company
Company is misleading
I've made it this far
Without you


My heart may never beat again baby
Or have you got the best of me?

I’m(0rg4n4) still here

She said to me, over the phone
She wanted to see other people
I thought, well then
Look around, they’re everywhere
Said that she was confused
I thought, darlin’, join the club
24 years old, mid-life crisis
Nowadays hits you when you’re young
I hung up, she called back, I hung up again
The process had already started
Least it happened quick
I swear I died inside that night
A friend, he’d called, I didn’t mention a thing
The last thing he said was “be sound”, sound
I contemplated an awful thing, I hate to admit
I just thought those would be such appropriate last words
But, I’m still here, and small
So small, how could this trouble seam so big
So big
Well the palms in the breeze still blow green
And the waves in the sea still absolute blue
But the horror
Every single thing I see is a reminder of her
Never thought I’d curse the day I met her
And since she’s gone, and wouldn’t hear
Who would care
What good would that do
But I’m still here
So I imagine in a month or 12
I’ll be somewhere having a drink
Laughing at a stupid joke
Or just another stupid thing
And I can see myself stopping short
Drifting out of the present
Sucked by the under tow and pulled out deep
And there I am standing
Wet grass and white head stones, all in rows
And in the distance there’s one off on it’s own
So I stop, kneel
My new home
And I picture a sober awakening
A re-entry into this little bar scene
Sip my drink till the ice hits my lip
Order another round
And that’s it for now
Sorry, never been too good at happy endings

Pearl Jam

20100801

De relações (ou... "é complicado")

Passamos noites de loucura, noites de calor de verão e de peles que fervem desejosas de sensações. E de repente alguém se atravessa no nosso caminho que pode levar-nos ao aconchego das certezas. Mas paramos de reconhecer as nossas vontades, questionamos a existência que levamos, pedimos respostas a perguntas que não se fazem mas inevitavelmente se sentem.

As verdades absolutas são inexistentes (e isso não é novidade). Mas existe sempre algo que nos faz duvidar se somos sós que não queremos que elas se materializem, e depois, atormentados pelas interrogações intermináveis, queremos apenas um ponto final.

Se calhar por tudo o que vivemos nos dias de ontem. Se calhar porque simplesmente não conseguimos parar só porque sim. Sem mais razões.

Procuramos a cada dia a ausência das perguntas que se sentem, porque nesse dia teremos todas as respostas.

20100730

Vodafone360 #fail

Depois de ter o mesmo telemóvel durante dois anos - e hey, estava todo lascado, faltava-lhe um botão ou outro, e toda a gente se queixava que se ouvia mal quando me ligavam, mas foi o telemóvel que mais aguentou nas minhas mãos - finalmente fui convencido a actualizar-me.

E pronto, entrei no mundo Vodafone360. Aquilo sincroniza com o facebook, vai lá buscar informação de contacto e faz o merge com os contactos que eu já tinha na minha lista.

Problema: já por duas vezes - e ainda não percebi porquê - enviou por SMS a minha localização geográfica. A última das vezes às 2.45 da madrugada de ontem. Inclusive a pessoal do trabalho... Mas isso nem foi o pior.

Mau mau é que aquilo parecia um anúncio de "come and get me"... Tipo ah estou na rua da Misericórdia em Lisboa... Anybody?...

Brrrr...

20100728

Five hundred, twenty-five thousand, six hundred minutes.

Andei aqui às voltas com palavras significantes que pudessem fazer um ponto de situação de um ano.

Mas não me apetece.

Quero re-apropriar-me deste meu canto. Sem justificações.