20100801

De relações (ou... "é complicado")

Passamos noites de loucura, noites de calor de verão e de peles que fervem desejosas de sensações. E de repente alguém se atravessa no nosso caminho que pode levar-nos ao aconchego das certezas. Mas paramos de reconhecer as nossas vontades, questionamos a existência que levamos, pedimos respostas a perguntas que não se fazem mas inevitavelmente se sentem.

As verdades absolutas são inexistentes (e isso não é novidade). Mas existe sempre algo que nos faz duvidar se somos sós que não queremos que elas se materializem, e depois, atormentados pelas interrogações intermináveis, queremos apenas um ponto final.

Se calhar por tudo o que vivemos nos dias de ontem. Se calhar porque simplesmente não conseguimos parar só porque sim. Sem mais razões.

Procuramos a cada dia a ausência das perguntas que se sentem, porque nesse dia teremos todas as respostas.

Sem comentários: